Série empreendeDORES – Texto 2 – A demissão!

Demissão não é fácil. Isso a maioria das pessoas concorda. Se gerar resultado através das pessoas é difícil, demitir e desligar alguém da equipe não é bacana, principalmente aqueles colaboradores mais antigos e que não são só caros, mas que têm um ”relacionamento” dentro da empresa.

Somos inseguros ao demitir, é como um ponto nevrálgico e delicado, pois pode gerar insegurança também nos clientes. São vários os motivos pelos quais precisamos tomar a decisão de demitir alguém: clima organizacional, perfil de comportamento inadequado para a função e relacionamento, falta de reciclagem, falta de entrega, acomodação entre outros. Uma dica para facilitar a sua vida na hora da demissão: não demita com raiva para não ficar vulnerável na hora e demitir para não ser traído pela emoção.

Pensando nisso, vale pensar em 10 super dicas para apoiar os gestores na hora de desligar alguém, fique tranquilo e respire fundo, porque essa é sim uma tarefa que compete a você gestor!

1 – Na dúvida demita, pois, recuperar pode custar caro!

Mesmo tendo a certeza de que esse colaborador não vai mais gerar o resultado esperado e ao desempenho, ao perfil, comportamento donos e gestores ficam resistentes e demoram para demitir. Ficam achando que vão recuperar a pessoa. Não vai, uma pessoa que já não está satisfeita ou que o seu ciclo dentro da empresa já passou, dá evidências. Se tiver qualquer dúvida, não relute, demita. Custa muito mais caro para sua empresa manter quem não está feliz nela. Além disso, pense que a sua equipe também está percebendo isso e poderá se desmotivar.

2 – Se o colaborador for antigo, monte um plano para demiti-lo!

Os gestores ficam inseguros por causa do tempo de casa por vários motivos. Primeiro porque esse colaborador bem ou mal conhece a casa, segundo porque os clientes conhecem ele muito bem e seu relacionamento na academia é sólido e o seu relacionamento já se tornou pessoal com os alunos e até com a equipe, depois porque o gestor tem receio de substituir por alguém que pode não se adaptar ao ambiente em geral e, por último, porque custa caro! Faça um planejamento, pense em todas as possibilidades, monte estratégias e… demita!

3 – Tenha sempre pessoas competentes na sua equipe para evitar ter que manter quem não produz mais pela falta de pessoas!

Isso pode ser um desastre. Manter alguém por falta de pessoas com competência para preencher essa vaga. Uma coisa que você pode fazer é uma estratégia que em gestão de pessoas se chama de gestão do conhecimento, mas faça isso, essa gestão, do conhecimento dos seus talentos. Tenha um programa interno de reciclagem e aprendizado onde cada um dos seus colaboradores poderá passar seu conhecimento à toda a equipe. Com certeza na hora de demitir, mesmo um talento, não faltará boas opções para substituir seja interna ou externamente.

4 – Faça avaliações periódicas para evitar ser injusto!

Um bom programa de avaliação de desempenho periódico, por mais simples que seja, pode apoiar o gestor na hora de tomar a decisão de demitir e facilita na hora de discutir isso com o colaborador baseado em fatos. Essa sua conduta vai ser percebida pela equipe como um gestor justo e profissional.

5 – Seja breve na demissão!

Uma demissão rápida e equilibrada é mais saudável e não deixa tempo para constrangimentos. Um recurso que pode ser usado é a técnica do feedback que é chamar a pessoa, dizer a ela porque ele foi chamado, dizer a ela que o ciclo profissional dela dentro da empresa encerrou, uma vez que o seu desempenho já não está atendendo a demanda da empresa. Agradeça e deseje boa sorte. Evite dar margem para justificativas que só servirão para deixar o clima tenso para ambos.

6 – Aviso prévio jamais!

Pense bem, uma pessoa que foi demitida não tem clima e nem espaço para se manter felizes na empresa. Além disso, ela vai ter tempo de conversar e se lamentar com os seus clientes. É melhor acertar tudo corretamente e dar a ela oportunidade de procurar uma nova recolocação com dinheiro no bolso e tempo.

7 – Se você faz as coisas corretamente, não tenha medo!

Se sua empresa contrata corretamente, dentro dos parâmetros formais de relacionamento profissional, não tem nada que deponha contra uma empresa nessa hora? Então demita e acerte tudo o que o colaborador tem direito. Uma coisa é certa, a empresa vai ter que pagar mais cedo ou mais tarde. O que acontece é que muitos gestores esperam para ver o que vai acontecer e ganhar tempo. Se esse for o caso, não é legal. Depõe contra a imagem da empresa. Existem casos de colaboradores que irão parar no “advogado”, mas, mesmo assim, se a empresa está segura e correta essa situação só vais ser ruim para o colaborador que acaba manchando sua imagem no mercado.

8 – Demitiu? Recolha os acessos.

Prepare-se para quando o colaborador entrar pela sala. Deixe avisado o seu pessoal de TI para que recolham ou troquem a senha, mas isso só será possível se o e-mail utilizado pelo funcionário tiver sido da empresa ao longo de sua permanência. Troque a senha, mas não desative o e-mail. Os e-mails contêm históricos sobre o relacionamento de um funcionário com o mercado, clientes, parceiros e isso pode ser considerado um patrimônio da empresa. Mantenha-os lá!

9 – Qual o melhor dia para demitir?

O melhor dia é o dia que você toma a decisão, mas pode ser pensado e programado claro: férias, final da semana, feriados. Isso gerará um hiato entre o relacionamento da pessoa em relação aos clientes e pode limitar o “ruído” inevitável que acontece quando alguém é demitido. Demissão tem a ver com encerramento de ciclo.

10 – Seja elegante na demissão.

Um dos maiores desafios de um gestor em se tratando de demissão é mesmo depois de demitido, o colaborador agradecer tudo o que aprendeu na empresa e que entende que não só poderá trabalhar em qualquer outra como recomendará essa empresa para outros novos colaboradores. Isso é um sonho! Ser impessoal, ser profissional, saber usar as palavras corretamente, ter empatia e colocar-se no lugar do demitido dando a ele opções de recolocação além de oferecer-se para servir de referência para futuros empregadores, vai deixar o clima mais ameno e saudável.

 

Por último deixe claro o que espera do colaborador demitido sobre boas condutas pós demissão. É comum antigos colaboradores manter relações pessoais com os clientes e antigos parceiros, por isso, pense e haja com bom senso para evitar constrangimentos.

Vamos em frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *