Heranças e herdeiros: Qual é o teu legado? O que fazer com os novos herdeiros?

Você montou uma empresa, teve uma história de sucesso e deu certo, mesmo tendo enfrentado dificuldades pelo caminho. Manteve o seu sustento e o da sua família, prosperou, plantou e colheu seus frutos.

Trabalhou direito e fez a sua parte oferecendo oportunidade de carreira e de sustento para várias pessoas ao longo de anos atuando à frente do seu negócio. E ainda contribuiu com o mercado e com a sociedade. Investiu financeira e emocionalmente, perdeu noites de sono, passou por situações de stress intenso diante das incertezas de precisar acertar. Foi exaustivamente determinado quando tudo parecia dar errado e todos te incentivavam a parar. Mas você seguiu firme principalmente porque sabia que havia muitas outras responsabilidades que só um dono de empresa conhece e percebe. Não era opção parar, pois havia algo maior que independia de você por trás de tudo.

E agora, que você já atingiu maturidade, e finalmente poderia desfrutar do seu patrimônio e da sua vida com mais tranquilidade não tem para quem deixar o que você construiu. Teria, mas percebe que seus herdeiros não possuem a maturidade necessária para assumirem o negócio e não desenvolveram as competências necessárias que um gestor precisa ter para seguir adiante com a sua obra! Então você se vê obrigado a continuar trabalhando, pois, sua empresa ainda está ativa e muitas pessoas dependem dela, inclusive você e sua família!

Se no início você perdia o sono por um ou outro problema, prepare-se para algo ainda mais desafiador que é quem você colocará no seu lugar!

Mais do que se imagina, essa é uma realidade de muitos empresários. Cada dia mais empresas prósperas ficam à mercê de grupos de conselheiros ou executivos na linha de frente pelo simples fato de que seus herdeiros diretos ainda não estão prontos para assumir a direção.

No entanto, esse é um fenômeno que envolve várias situações, mas a principal delas é a falta de preparo dos envolvidos, do futuro presidente ao atual que, no caso, não se preparou para passar sua empresa adiante.

Parece que não, mas analisando as partes começando pelo lado do herdeiro, existe nesse ambiente uma certa “obrigatoriedade” que o conduz a ser o porta-voz, ser quem irá tomar as rédeas da empresa pelo simples fato de ser filho ou alguém direto ligado a quem a construiu. E, muitas vezes essa pessoa acaba ficando sem opção inclusive de saber se é isso o que quer ou se tem competência para assumir essa responsabilidade. Ele simplesmente não tem certeza se será capaz ou se quer de fato assumir.

No entanto, ter um patrimônio e ninguém para cuidar ou continuar, também é um problema. Ao olhar pelo lado do dono, do empresário, do presidente, daquele que construiu uma vida além da condição de recursos financeiros, mas como subsídio para sua família também, ter um membro da família como herdeiro, passa uma sensação de legado, de continuidade, de missão cumprida sobretudo em se tratando de alguém que por consequência da vida não só o mais indicado, mas alguém que viu de perto todo o legado ser construído e tem sal confiança. Inúmeros são os donos de empresas que tentam por anos incluir seus filhos na gestão e não tem sucesso. Percebem um pouco tarde infelizmente que haverá uma grande frustração de ambas as partes caso insistam nessa empreitada e passam a se responsabilizar por não terem visto que precisavam preparar seus herdeiros ou substitutos de maneira consistente e consciente. Isso porque todas as pessoas, independente de relação ou situação, precisam de tempo e de preparo para atuar de maneira ainda melhor que os antigos gestores.

E é aí que toda a temática começa: como fica a empresa e todas as pessoas envolvidas nela caso não haja substitutos eficazes? O que acontecerá com todo o patrimônio caso a nova gestão não seja alguém capacitado para isso?! o dono quer mesmo passar para os sucessores? Melhor vender? Passar para outros empresários? Parar?

Coisas simples como fazer uma avaliação das competências de quem está na sua mente, avaliar se você quer continuar nessa empreitada ou se vai mesmo passar para frente pode te custar muito menos do que esperar o tempo passar na esperança de que as coisas por si só se resolvam.

Não pense que parar e analisar, pensar e se organizar, planejar e preparar pessoas que farão parte do seu negócio ao longo do tempo seja perder tempo, entenda que com isso você garantirá a longevidade do negócio e a sua própria!

Ter um plano de estratégias melhores elaboradas para fazer o que é certo em detrimento do que você gostaria, pode ser uma maneira mais do que justa e digna de garantir o seu futuro, de sua família e ter uma vida mais saudável e feliz além de manter o seu patrimônio!

Vamos em frente!

E aí? Gostou? Não gostou? Deixe seu comentário ou entre em contato com a Cris!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *